19 de maio de 2008

Pensando em números

No caminho para a faculdade, eu precisava ocupar a cabeça para o trajeto parecer mais curto, então comecei a pensar na minha idade em outros idiomas. Veintiuno, vingt une, ventuno, aí quando fui pensar no twenty one, achei muito assombroso, era muita idade, eu devia estar errada, tentei me lembrar do ano em que nasci, fiz as contas e deu vinte um. Estranho.
Daqui a seis anos vou precisar aprender a cozinhar e dirigir. Ainda nesse ano completarei vinte e dois, não gosto de números pares e não estou preparada para ouvir o comentário imbecil: "Dois patinhos na lagoa!".
Quando eu fizer vinte e cinco terei metade de meio século, isso sim será apavorante! Tomara que até lá eu tenha um carimbo com meu nome.
Nos grupos aos quais pertenço sempre sou a mais velha, pouca diferença, suficiente para me frustar, mas se eu quiser me camuflar no meio de pessoas de dezesseis eu posso, isso é bom? Isso é horrível! Cadê a maturidade estampada no rosto?
Aos quarenta estarei bem enxuta, minha filha não terá vergonha de mim quando eu for a buscar na escola.
Quando eu fizer oitenta anos vou contar várias histórias para os meus netos, até contarei que um dia eu fritei a mão no abajur e nasceu uma grande bolha que muita gente conheceu,passou a fazer parte de mim e viveu grandes aventuras comigo. Quando ela se foi restou apenas a saudade...

6 comentários:

Mauricio Toczek disse...

compartilho os mesmo números que você. Só que terei que adiantar algumas coisinhas por ser homenzinho. Já estou começando a cozinhar, isso é um bom sinal. Como sempre, um ótimo texto.

Abraços

F33RR&+i disse...

0oh0oh0oh..tudo isso chimele??
Meu Deus xente, que idosa!!!
Eu posso te ensinar a cozinhar alguma coisa pra você não deixar tudo para última hora, o que você acha???

Radical disse...

Para mim o pior dia é: o dia do aniversário na hora do banho, aquele momento íntimo, aonde pensamaos em tanta coisa, no tempo que passou, no que deveria ter feito e não vou deixar de fazer este ano e etc. Depois dos dezoito as ilusões acabam e a gente só lembra de como era bom antigamente.....

Tatiana disse...

uma bolha?
que tuuuuudo!
haha
confesso, foi a parte do texto que mais gostei.
ah, e esse pânico com a idade e com os patrilhos dão e passam. pode acreditar. palavra de quem já tá prestes a fazer 23.
beijos
tatilazz.zip.net
mulheresdeathenas.blogspot.com

Tatiana disse...

p.s. patrilhos = patinhos

Neto disse...

eu nao conheci sua bolha :/
ashushau

entao eu sou meio o oposto, vivo no meio de pessoas mais velhas, não sei se é tao bom, as vezes me pego querendo ser maduro d mais, so tenhu 19 anos no ultimo ano d facul :S

bom melhor nao pensar senao enlouquece neh, pense nisso
ashushau
bjoooooo