25 de fevereiro de 2009

Capital

Sinto uma vontade quase que incontrolável de chorar quando preciso ir ao banco, evito ao máximo esse momento, se não há escapatória, lá vou eu, chego na frente do antro do capitalismo e mentalmente faço o sinal da cruz.
Tento passar pela porta giratória em vão , ela me acusa sem misericórdia, deixo minha suposta arma na caixinha e volto a entrar na engrenagem que pode me engolir.
Finalmente dentro do recinto, sinto frio. Meus pés gelam e a coriza toma conta do meu ser, porque não há no mundo lugar mais gelado, que gela o coração dos funcionários.
Depois de muito tempo na fila, evitando qualquer tentativa de amizade chego ao guichê e lá encontro alguém muito mais estressado que eu, mas tento compreender que o ambiente o corrompeu.
- A identidade, por favor.
- Esqueci.

18 comentários:

Neto disse...

banco é uma coisa msm
mas é massa ir ao caixa eletronico buscar o salario =D

Não Enviadas disse...

Eu seeeeeeeempre esqueço a identidade. Sempre.

CamilaRufine

Mauricio Toczek disse...

Coincidência, eu tbm sempre esqueço minha identidade. Às vezes eu acho que sou Jaime, um palhaço de circo. Às vezes também acho que sou Jeremias, um manobrista de tratores do pátio da firma. Mas aí eu olho o papel verde dentro da minha carteira e percebo quem sou de verdade. Depois tento ser o Jaim e de novo, é mais divertido. :)

obles

Marina Matos disse...

Eu tbém não gosto qdo tenho que atravessar aquela porta giratória, que bom se resolvesse tudo no caixa eletrônico rsrsrssrs.

Scheyla Joanne Horst disse...

Você só consegue passar em porta giratória de banco com arma! Pode tentar! Não adianta querer entrar com moedinha, cinto de tachinha, pulseira "semi-jóia". É que eles sabem, que essas coisas sim são perigosas. haha.
:)

Peripécias da Cáh. disse...

E esse é o meu mundo maravilhoso de trabalho!!
Eis o significado do banco!
Mas, devo discordar em um aspecto:
Procuro atender os clientes da forma mais simpática e atenciosa que consigo!!

Amoo bancos!!
Se pudesse, até acampava! rsrsrs


beijosss Mih!

Patarata disse...

Amei a tua escrita.
Muito bom...

;)

Dulcinéia disse...

Ih carla parece que é só você de bancária que tem esse bom humor com os clientes e essa vontade de acampar no banco...eh uma idéia e eu gosto de coisas diferentes iria ser diferente. O dia em que você for me chama.
Bjo

Raquel Farias disse...

Já me atualizei.

Profana - Não comento sobre o inferno, nem quero imaginar como é lá.

Presidência póstuma - Eu concordo contigo, tb acho q Sarney morreu.

I-VO-VIU-A-U-VA - Tb não chorei no primeiro dia de aula, mas minha coordenação para desenhos e tudo mais era boa, mas não desenhei uma nuvem.

Renew - Já tô começando a querer usar e eu casaria com o Marco Luque. Acho que no final eu não me arrependeria.

Por último, não tenho boas lembranças de bancos...


"Equeci" foi ótimo.

Carolina disse...

eu hj mesmo eu fui ao banco e, enquanto o mocinho digitava meus dados pra poder fazer meu cartão, eu pensava: "que triste ele é nesse lugar frio e cinza!".

eu adoro ler aqui, sempre. =)

Guarapuavana nata. disse...

Sempre tive vontade de dizer pro caixa:
Identidade pra que? Se vivemos num mundo de indigentes!!!!!


obs: queria descobrir quem é o gênio que bolas as palavras da verivicação de palavras a minha dessa vez foi: POTATOME....

CINTIABLICIDADE disse...

afffff... eu já fiz dessas!!!
o pior de todas foi no chai hall que não me queriam deixar entrar sem a identidade...
mas dessa vez eu até fiquei feliz, imagina, me senti com cara de pirralha!!! aiuhaiuahiuahiauh

Vinicius disse...

pqp rsrs...
dei muita risada principalmente com as "tentativas de amizades" rs

agora imagino sua cara na hora de esquecer o RG rsrs

Tatiana Lazzarotto disse...

Hahaha
Ótimo.
Adorei a sacada do ar condicionado que gela o coração dos funcionários.
E lá vou eu segunda-feira abrir uma conta no banco. :/

Bjo bjo

Chris disse...

ahshashahshahs
Tbm sempre esqueço a identidade...
ashahshhahshas
=* misinha

Brescia Magalhães. disse...

graças a deus, ha muito tempo venho sendo poupada de me atracar com as giratórias!!!, mas sei exatamente o q vc qr dizer... aos onze, doze anos, meu primeiro trabalho, era fazer exatamente o serviço de banco para o escritório do meu digníssimo pai...
ahhhhhhhhhhhhhh eu nem te conto como eu gostava e como, obviamente, eu adquiri um trauma e um carma com a caixa economica federal...
péssima nostalgia, garota! péssima nostalgia...!!!
no entanto...
vira e mexe eu mato alguém antes da hora e tb adorava a tv colosso... mas dispenso o marido da síndrome do peter pan!!! rsrsrs
adorei o blog...
bjo!

lAdY tAnGeRiNe disse...

Michele...você sempre me surpreende com seus textos. Como é incrível. Este do banco é fantástico..o ser engolida. E a singeleza do "esqueci". Como você pinta imgens em nossa mente!! Lendo o texto lembrei que esta semana vi você na rua...toda tensa e encolhidinha. "Mundo, mundo vasto mundo!"...como esse mundão é grande pra pessoas sensíveis como você! E por isso mesmo você ê tão de perto cada pedacinho dele! LINDA!

lAdY tAnGeRiNe disse...

corrigindo: "você vê tão de perto cada pedacinho dele!" Beijos!