23 de junho de 2008

Claro que não! É impossível!

Seguindo em direção à faculdade me deparei com um acidente, uma camionete e um carro popular, não sei se havia feridos, sei que havia curiosos. Senti necessidade de observar tais humanos.
Uma mãe, com uma criança no colo, conversava com a vizinha, enquanto elas conversavam a criança sentia frio, e não era culpa da mãe, afinal se ela parasse para vestir o filho, com certeza perderia a chegada do SAMU.
Uma senhora carente sai de casa o mais rápido possível, não poderia perder a chance de interagir, ter a oportunidade de contar que depois que o marido foi pra guerra ela passou a se virar sozinha e que machucou as cadeiras tentando trocar a lâmpada. Ela nem sabia ao certo o que estava acontecendo, só queria conversar.
O homem com o guarda-chuva comentava com o de bigode as razões do acidente, um queria saber mais que o outro.
Fui para a aula pensando. Por que o ser humano é tão curioso? A vida não vai mudar por causa do problema alheio, então por que tanto interesse? Ridículo. É o mesmo que perder tempo pesquisando na internet se a Sandy realmente está grávida.

2 comentários:

F33RR&+i disse...

Mas sandy está ou não grávida??? E quem é o pai??.. Está legal o texto mais eu queria dar um destaque maior para a frase:
"Por que o ser humano é tão curioso?"
...o0h0oh0oh0o0oh..ri muito com ela, não estou falando que está ruim ou ambígua, mas mostrou o ser humano do jeito que é na integra...oh0oh0oh

Mauricio Toczek disse...

Ah! Fala sério! Quem em sã consciência veria um acidente e não sairia correndo para ver? Eu também presenciei um acidente. Por completo. Eu vi o momento exato da pancada de um cara em um opala e um motoqueiro que cruzou a preferencial e queria ter razão. O cara do opala estava armado. Fez questão de mostrar a pistola que supostamente deveria estar escondida. Isso não tinha como não olhar. Outro dia conto melhor a história.