1 de janeiro de 2009

Juninho

Minha avó diz que, há muito tempo, eu passava grande parte do dia conversando com uma menininha que adorava brincar na areia. A família se preocupava com minha sanidade, porém ninguém ousava contestar a existência da minha filha.
Não me recordo de nada disso, nem sei em que momento a menininha foi embora, o que importa é que seu lugar não ficou vago, quem ocupa é meu filho de sete anos, hiperativo, inteligente e com grande talento artístico.
Hoje eu tenho lucidez suficiente para entender que ele é apenas fruto da minha imaginação, e afinal eu sei controlá-lo, o coitadinho nem me atrapalha.
- Sai filho, vai brincar, mamãe está escrevendo.

10 comentários:

Mauricio Toczek disse...

Muuiuiptp leggallk sseuu texxcxto, mnmas nmã\o voui escrever nmuioirtoi poq mneu tigtre edr estiumação rtá nme lkambendso. bjois. oitimo texrto.

stsesse

Camila Belini disse...

E o juninho como anda?
Mande lembranças pra ele!

Não Enviadas disse...

Filho imaginário? Boa idéia... ehehe

Ps: filhos foram direta ou indiretamente assunto de nossos blogs. Coincidência boa!

=*´s

Camila Rufine

Neto disse...

manda um oi para ele ^^

Chris disse...

Sim eu jah ouvi falar muito de seu filho, eh o Juninho neh?!!! E vc educou ele muito bem Misinha!!!
O meu ainda está desobediente, na fase de deixar brinquedos espalhados pela casa!!
Saudades de vc
=**

Maxmilla Barroso disse...

Ahh também quero um filho!! Mas primeiro tenho que imaginar uma mãe...

Tatiana disse...

no começo eu achei q vc estava brincando com essa história do filho. com o tempo percebi q vc acredita mesmo q ele existe. quando criança eu tinha uma amiga imaginária. uma coisa perfeitamente normal. mas com essa história de filho imaginário percebi q vc é mais louca que eu.

tatilazz.zip.net
mulheresdeathenas.blogspot.com

Daise disse...

Como sou nova por aqui, fui ler os posts antigos para me situar... Quer saber, vc é uma ótima mãe! Gostei do seu cantinho, com filho ou sem filho. Vou volta, viu? Bjks

Irisdelfane clei disse...

Mihh. GÊnio.

Marina Matos disse...

Dessa sua imaginação nunca
esqueço...
Lembra tbém do Beto? rsrsrs
bonecão de mercearia.
Este texto ficou maravilhoso.